Reflexões da Redação
17 DE julho DE 2017 - 14:42

Uma resposta rápida e dirigida

Reflexão dos editores do portal

Na semana passada perguntamos aqui neste espaço para que servem os políticos (http://industriatividade.com.br/para-que-servem-os-politicos/). Como a grande maioria dos brasileiros, sabemos conceitualmente para que estão nos cargos, porém, pelo que se vê, suas funções têm sido distorcidas há muito tempo.

Queríamos, portanto, lançar uma provocação motivada pela falta de empenho ou interesse da grande maioria dos parlamentares em ajudar o Brasil real a sair da crise em que foi enfiado nos últimos anos. Tamanha é a falta de respeito destes senhores que, nas pesquisas de nível de confiança dos brasileiros, ocupam os últimos lugares.

Só não esperávamos que a resposta viesse tão rápida. E chegou por meio de uma proposta incluída no relatório parcial da Reforma Política pelo deputado federal e relator Vicente Cândido, que impede que candidatos sejam presos até oito meses antes das eleições. Hoje, o artigo 236 do Código Eleitoral determina quinze dias antes do pleito.

O deputado propõe criar uma habilitação prévia dos candidatos, que teriam de pedir um certificado à Justiça Eleitoral entre os dias 1º e 28 de fevereiro do ano da eleição. Com o documento, ganhariam uma espécie de “salvo-conduto” que impediria que fossem presos daquele momento até dois dias após as eleições.

Se aprovada até setembro próximo, a medida, que pode evitar a prisão de políticos investigados e condenados, como é o caso, por exemplo, do ex-presidente Lula – do mesmo partido do relator -, já valeria para as eleições do ano que vem.

Segundo o deputado, apesar da coincidência de legenda, a proposta não foi feita com o objetivo de favorecer Lula, mas a todos os parlamentares. Ao jornal FSP, disse que o que
motivou a alteração foi o atual clima pesado do país, com relatos de abusos de autoridade contra a classe política. É para isso que servem os políticos?

Em tempo: a proposta do relator é tão descarada que já foi apelidada de “emenda Lula”.

Ainda bem que alguns membros do Congresso já estão manifestando suas posições contrárias a mais este casuísmo político, um verdadeiro escárnio ao pensamento da sociedade brasileira, que quer, de uma vez por todas, acabar com atitudes corporativistas, antiéticas e imorais como esta. Tem que ser assim: matar no nascedouro.

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.