Entidades em Ação
9 DE agosto DE 2019 - 15:52

Startups podem trabalhar em conjunto com a indústria, diz ABDI

A tecnologia tem transformado as relações humanas, sejam elas pessoais ou profissionais. Isso se deve às novas formas de comunicação. Atualmente, não se faz mais necessário sair de casa para pagar uma conta, ou fazer uma ligação para pedir um produto, os aplicativos de transporte e entregas, facilitaram muito os processos.

Com a indústria não poderia ser diferente. A onda de startups dominou o mercado nos últimos anos, não só pela tecnologia, mas também pelas novas formas de gestão, que permitem mais participação dos colaboradores. Estima-se que o número de startups, só no Brasil, esteja em cerca de 15 mil, isso incluindo as não registradas. Além disso, as 5 maiores startups brasileiras estão avaliadas em R$ 89 bilhões.

Em sua 3º edição, o Programa Nacional Startup Indústria, projeto da ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial -, visa aplicar a inovação da Indústria 4.0 na tradicional, o programa apresenta às empresas soluções modernas, que contam com a inteligência tecnológica.

Elisa Carlos, Gerente de Inovação da ABDI, comenta que o programa rendeu bons resultados. “Até agora aconteceram grandes mudanças, a ideia de conectar uma startup a uma grande indústria gerou 20% de redução de custos de uma unidade fabril, 70% de redução de parada nas máquinas de outra, além de uma redução de R$ 1 milhão mensais em uma 3ª unidade”.

Ela enfatiza que as startups por vezes não são levadas a sério, mas que sua dinâmica pode oferecer mudanças consideráveis as grandes indústrias e sociedade. “Startups são interessantes porque a transformação vai além do falar, há uma coerência entre discurso e ação, o que muda totalmente a forma de gestão de uma empresa”, conclui.

Para Estela Cunha, Consultora Sênior de Inovação e T.I do Grupo Boticário, a inovação precisa ser desmistificada, já que costuma ser idealizada com invenções mirabolantes, quando na verdade, segundo ela, é uma forma de simplificar. “É necessário desmistificar a inovação, quando se fala sobre isso, as pessoas imaginam algo que não é para todos, se imagina um grande feito da NASA, por exemplo, mas não, para nós é exatamente simplificar soluções”, afirma.

Estela explica que a pulverização é essencial para que as empresas trabalhem em conjunto e que vai além dos laboratórios. “A inovação passa a ser pulverizada, isso traz as pessoas para perto, porque vai além do laboratório, é possível que o RH, controladoria, suprimentos e auditoria sejam inovadores também. Com essa cultura de inovação, tudo trabalha em conjunto, todas as áreas funcionam juntas para alcançar uma solução, a indústria é o motor do varejo e um puxa o outro”, finaliza a Consultora.

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.