Reflexões da Redação
12 DE dezembro DE 2017 - 1:23

Reforma da Previdência já!

Reflexão dos editores deste portal

Pelas manifestações positivas de empresários, economistas e especialistas fica cada vez mais evidente que aprovar a reforma da Previdência é fundamental para o desenvolvimento definitivo do país.

Todos destacam que a economia está tomando o caminho da recuperação, porém são unânimes em cobrar o comprometimento dos parlamentares na aprovação da reforma previdenciária, encaminhando o Brasil ao caminho do crescimento sustentado.

Portanto, está sendo difícil compreender os motivos que levam boa parte dos deputados a fugirem da responsabilidade, a não ser por puro revanchismo de políticos de oposição ao atual governo, ou daqueles sem posição, unicamente pelo medo de não conseguirem a reeleição nas eleições do ano que vem.

Parece que não entenderam, ou não querem entender, que a proposta que está em tramitação trata de uma transição gradual até 2037, quando, por exemplo, aí sim a idade mínima para aposentadoria será de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Alguns políticos chegam a mentir nos programas gratuitos de TV, numa atitude clara de desinformar os menos avisados.

Como diz o presidente da CNI, Robson Andrade, a reforma da Previdência é um dos principais pilares do equilíbrio permanente das contas públicas, e a frustração colocará em risco o ajuste fiscal e a estabilidade alcançada até agora, o que pode provocar a reversão da trajetória de queda dos juros.

Dias antes, ele já havia ponderado não ser ingênuo a ponto de pedir aos políticos que pensem apenas no Brasil e deixem de lado seus interesses eleitorais. Preocupado com o imobilismo, Andrade conclamou os parlamentares a, pelo menos por uma vez, raciocinarem para ajudar o país a equilibrar as contas, acelerar a retomada da economia, criar mais empregos e melhorar a vida dos trabalhadores e de suas famílias.

Neste contexto, Fernando Pimentel, presidente da ABIT, afirma que o atual sistema previdenciário é a crônica de uma falência anunciada, cujas consequências serão drásticas, pois, como diz, serão alguns milhões de idosos expostos à inadimplência dos seus proventos, depois de toda uma vida de trabalho. Pimentel destaca, portanto, que é urgente iniciar a transição para o novo modelo, e conclui que, quanto antes ocorrer a reforma, menos abruptas e duras serão as consequências.

Fica evidente, por essas colocações, que votar a reforma da Previdência agora é fundamental para a recuperação definitiva da economia e dos investimentos em infraestrutura, saúde, educação, moradia e, também, em outras ações fundamentais para a volta do emprego e da dignidade.

Assim, a grande expectativa da sociedade volta-se, neste momento, para a aprovação da reforma, que, certamente, ao lado da nova legislação trabalhista, dará um novo impulso ao desenvolvimento do país.

Assim, postergar as discussões para o ano que vem – como anda considerando o presidente Temer – será decretar o sepultamento da reforma da Previdência, pois os políticos (todos) estarão ocupados com suas campanhas eleitorais, trabalhando em suas bases cativas e afastando-se ainda mais de suas responsabilidades com o Brasil.

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.