Reflexões da Redação
28 DE outubro DE 2018 - 23:48

O Brasil e o novo Presidente

Reflexão dos editores deste portal

A maioria dos brasileiros acaba de escolher seu novo Presidente da República que, em seu primeiro discurso, assumiu o compromisso de governar o Brasil priorizando o respeito à Constituição, à Democracia e às Liberdades.

Independente da posição política e ideológica do eleito e de tudo o que ocorreu no período eleitoral, com acusações de ambas as partes, é fundamental, a partir de agora, que seja enterrada de vez a polarização odiosa, sustentada pela divisão ‘nós e eles’.

Neste contexto, é importante que o escolhido coloque a Nação à frente de tudo, priorizando as pessoas e as empresas que fazem a engrenagem funcionar. Assim, pelo que foi possível depreender até o momento, entendemos que o país não vai parar diante dos inescrupulosos que tentaram – e ainda tentam – atrapalhar o caminho do desenvolvimento e da devolução da dignidade aos cidadãos.

É sempre importante reafirmar que tudo o que o país conquistou até hoje foi fruto da atividade séria de empresários que, mesmo em situações adversas, continuaram buscando condições – mínimas que fossem – para não interromper a produção, o que poderia levar ao caos maior.

Como já escrevemos aqui, os cidadãos, cheios de serem enganados, querem seus representantes arregaçando as mangas e trabalhando para valer em prol do país. É público e notório que o Brasil está – aos poucos e modestamente – saindo da crise provocada por governos inconsequentes e que, por anos a fio, fizeram da corrupção seu fio condutor.

O novo presidente – que é fruto desse desarranjo (incluindo-se os últimos dois anos de um governo bem intencionado, mas fraco, sem apoio e sem personalidade) – tem deixado claro que pretende reduzir os elevados custos e déficit provocados pela máquina pública inchada, promovendo uma drástica redução no número de ministérios e buscando, para isso, enfrentar o corporativismo, as trocas de apoios por cargos e os favorecimentos.

Pelo que se depreende de suas primeiras palavras, mesmo não conhecendo efetivamente suas propostas, podemos antever para os próximos anos um período de política econômica forte – com destaque para as reformas e as privatizações – capaz de enfrentar as dificuldades iniciais e dar respostas que devolvam às empresas (industriais, comerciais e serviços) a possibilidade de voltarem a competir interna e externamente.

O Brasil tem pressa e precisa de lideranças políticas arejadas e íntegras, com ideais verdadeiros que levem o país ao desenvolvimento sustentado e que devolvam aos brasileiros a dignidade representada pelo emprego, saúde, previdência, educação, moradia e segurança, e, às empresas, a capacidade de produzir e competir no mercado nacional e internacional.

Portanto, senhor Presidente, desde já, mãos à obra.

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.