Reflexões da Redação
2 DE janeiro DE 2018 - 22:05

Nova Previdência trará o crescimento sustentado

Reflexão dos editores deste portal

Em pronunciamento na noite de Natal, o presidente Temer voltou a pedir apoio para aprovação da reforma da Previdência. Ele destacou que a mudança nas regras para se aposentar são essenciais para o desenvolvimento do país. Alegando que a proposta não é uma que questão partidária, o Temer afirmou mais uma vez que as novas regras são a garantia de pagamento dos benefícios no futuro.

Em evidência durante quase o ano todo de 2017, a reforma chega a 2018 em meio a discussões e controvérsias. A luta para conseguir os 308 votos na Câmara – antes cogitada para outubro – foi adiada para dezembro e depois para o próximo dia 19 de fevereiro. Até lá, o governo deverá trabalhar muito para manter e conquistar votos dos parlamentares.

Vale lembrar que, sobre a idade mínima para a aposentadoria, a reforma prevê que começaria com os atuais 55 anos para os homens e 53 anos para as mulheres, e somente começaria a subir a partir de 2020 na proporção de um ano de idade a cada dois anos que se passarem. Assim, somente em 2038 o piso para a aposentadoria seria atingindo, fixando as idades de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres.

Neste contexto, fica difícil compreender os motivos que levam boa parte dos deputados a fugirem da responsabilidade, a não ser por puro revanchismo de políticos de oposicionistas ao atual governo, ou daqueles sem posição, unicamente pelo medo de não conseguirem a reeleição no pleito deste ano.

Parece que não querem entender que a proposta em tramitação trata de uma transição gradual. Alguns políticos chegam a mentir nos programas gratuitos de TV, numa atitude clara de desinformar a população mais simples e menos avisada.

Em verdade, é tudo isso e, ao mesmo tempo, não é nada disso. Vão ficar até o último momento esperando o governo liberar recursos de banco públicos em troca do apoio.

Do ponto de vista do empresariado brasileiro e de analistas de mercado, aprovar a nova Previdência é fundamental para o desenvolvimento definitivo do país. Todos lembram que a economia está tomando o caminho da recuperação, e pedem o comprometimento dos parlamentares na aprovação da reforma, levando o Brasil para o caminho do crescimento sustentado.

Todos afirmam que a reforma é um dos principais pilares para o equilíbrio permanente das contas públicas, e a frustração colocará em risco o ajuste fiscal e a estabilidade alcançada até agora, o que pode provocar a reversão da trajetória de queda dos juros. Destacam que a não aprovação trará consequências drásticas, pois alguns milhões de idosos serão expostos à inadimplência dos seus proventos, depois de toda uma vida de trabalho.

Por essas colocações, fica evidente que votar a reforma da Previdência – que seja em fevereiro, mesmo – é fundamental para a recuperação definitiva da economia e dos investimentos em infraestrutura, saúde, educação, moradia e, também, em outras ações para a volta do emprego e da dignidade.

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.