Entidades em Ação
8 DE outubro DE 2018 - 15:07

Energia solar fotovoltaica avança em áreas rurais

A energia solar fotovoltaica permite que casas, prédios e empresas produzam a própria energia. Mas o campo agora também percebeu que esta tecnologia pode agregar muito valor a sua produção, além de reduzir a tarifa de energia elétrica.

Hoje no Brasil, 747 consumidores rurais são cadastrados no sistema como produtores de energia limpa a partir do sol, que representa 12,2 Megawatts de energia distribuída, que é 5,4% de toda a potência instalada no país. Os dados são da Absolar – Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica.

Os agricultores podem gerar energia o suficiente para alimentar toda a propriedade e ainda fornecer ao sistema elétrico nacional, gerando os chamados créditos energéticos, que podem ser utilizados por até 60 meses, na própria unidade geradora ou em outras unidades consumidoras, dentro da área de abrangência da concessionária e desde que as contas estejam no mesmo CPF ou CNPJ.

Ao optar por investir em energia solar, o homem do campo consegue obter benefícios, sendo o principal deles, economizar na conta de luz, conseguindo reduzir o valor da fatura em até 95%, pagando somente a taxa mínima, também chamada de taxa de disponibilidade de rede, uma vez que o sistema é conectado à concessionária local.

As aplicações no campo são inúmeras, mas o presidente-executivo da Absolar, Rodrigo Sauaia, destaca o bombeamento de água para o abastecimento de animais ou para tanques de piscicultura, além da irrigação – seja para resfriamento de equipamentos, seja para lavouras. Também para vigilância, telecomunicação, secagem e tantas outras ações.

A CEO da SS Solar, Cátia Stoyan, complementa que a regulação e consequentemente, as linhas de financiamento, foram marcos para este crescimento. “O do setor agropecuário brasileiro depende da energia para crescer ainda mais”, explica.

O uso da energia solar fotovoltaica traz a independência energética da propriedade, além de permitir uma construção de imagem de uma marca compromissada com o meio ambiente. Porém, para o presidente executivo da Absolar, o principal fator favorável do uso da energia solar fotovoltaica no campo é a previsibilidade dos custos com a energia elétrica nos próximos 25 anos, que é o tempo de vida útil do equipamento.

O diretor da Solar Volt, Gabriel Guimarães, complementa que os custos de operação e manutenção das placas são muito baixos e envolvem a limpeza dos painéis no período seco de duas a três vezes ao ano. “Além disso, as garantias dos equipamentos de primeira linha são de 25 anos de geração, o que torna o sistema um investimento seguro e rentável”, explica.

A tecnologia também permite que as propriedades rurais, que são localizadas longe das redes convencionais, produzam sua própria energia. “A energia solar fotovoltaica é uma solução viável e natural para unidades que dependiam do uso de motor a diesel para ter energia”, pontua Cátia Stoyan. O motor a diesel, além de ser poluente, tem custo de manutenção. O diesel está caro e ainda tem um alto valor de deslocamento ser levado a unidade rural.

A respeito dos custos, Gabriel afirma que o dimensionamento do sistema adequado depende da quantidade de energia que deverá ser gerada para atender o percentual desejado de economia na conta de energia. “O valor do investimento pode variar de R$ 15 mil para uma pequena casa a mais de R$ 100 mil para grandes propriedades”, esclarece.

Fonte: Site da Absolar/Canal Bioenergia

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.