O que é que há

Na Petrobras, o buraco é mais embaixo

14/06 – A Petrobras precisará desembolsar mais de US$ 5 bilhões para concluir as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – Comperj. Iniciada em 2008, a construção do complexo já custou aos cofres da estatal a importância de US$ 14,3 bilhões. Lembre-se que o orçamento original previa US$ 6,1 bilhões. O projeto original do Comperj previa duas refinarias, uma petroquímica, mais uma unidade de processamento de gás. O projeto foi feito quando Paulo Roberto Costa era diretor da Petrobras.

Tomara que derrota da seleção sirva para alguma coisa

13/06 – O Brasil (depois de 2014) perdeu e está fora da Copa América. Não importa se o gol foi ilegal, mas, sim, a bagunça que impera entre dirigentes que comandam o nosso futebol. É uma vergonha! O presidente da CBF está preso. O substituto não sai do Brasil, pois será preso também. As federações estaduais e clubes são dirigidos – há exceções – por pessoas mais interessadas em tirar proveito para si do que resolver as questões de suas agremiações. Ainda temos que aturar uma seleção de bons atletas dirigida por um técnico incompetente. Aliás, há coisas mais importantes para se discutir.

Nova equipe econômica vê espaço para reduzir juros

09/06 – Em último ato de Alexandre Tombini à frente do Banco Central, o Copom manteve em 14,25% ao ano a taxa SELIC (está nesse patamar desde julho de 2015), numa tentativa de segurar a inflação que fechou o mês de maio em elevação (0,78%). Por sua vez, a equipe econômica de Temer, avaliando a queda do dólar e a credibilidade do novo governo, acredita que há espaço para promover uma redução na taxa básica, já no segundo semestre. A queda seria importante para a recuperação da economia, pois tem reflexo direto nos juros cobrados nos empréstimos.

Faturamento da Zona Franca de Manaus cai 15,26% no primeiro quadrimestre deste ano

07/06 – Dados da SUFRAMA indicam que a Zona Franca de Manaus (ZFM) registrou faturamento de R$ 22,3 bilhões entre janeiro e abril, o que representa um decréscimo de 15,26% em relação ao mesmo período do ano passado (R$ 26,3 bilhões). O subsetor Eletroeletrônico continua como o maior responsável pelo faturamento, com 27,84% de participação. Depois vem o subsetor de Bens de Informática, com 18,73% de participação. A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, explica que a crise econômica teve impacto acentuado na ZFM devido ao fato de que os produtos fabricados no Polo de Manaus não são gêneros de primeira necessidade.

Setor eletroeletrônico já fechou 7 mil vagas neste ano

06/06 – Dados levantados pela Abinee, com base em informações do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho -, apontam que as indústrias do setor elétrico e eletrônico fecharam 7 mil postos de trabalho no acumulado de janeiro a abril deste ano. Só no último mês de abril foram demitidos 1.600 trabalhadores. O levantamento mostra, também, que, nos últimos 12 meses, as indústrias do setor fecharam 48 mil vagas, e o número total de empregados diretos foi reduzido a 241 mil, o mesmo registrado em dezembro de 2006.

Investir em inovação é a saída

05/06 – Para João Carlos Basilio, presidente da ABIHPEC, cujo setor teve queda de 8% em 2015, um dos caminhos para voltar a ganhar fôlego, competitividade e mercado, é o investimento em inovação. Ele afirma que o momento é de buscar a inovação de forma ampla, com foco em gestão, logística, serviços, comunicação e até mesmo na comercialização dos produtos. Sugere a revisão das estratégias e o trabalho em equipe, fundamentais para a vitalidade e a força das empresas frente ao mercado neste momento delicado da economia brasileira.

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.