Análise Econômica, Política & Social
Sindipeças Dan Ioschpe1

A recuperação do setor de autopeças

Neste artigo, Dan Ioschpe, presidente do Sindipeças, avalia que, neste ano, o setor apresentará crescimento superior ao que se esperava anteriormente fruto da evolução das exportações

Abradee Nelson Leite1

A tarifa branca precisa hastear uma bandeira branca

Neste artigo, Nelson Fonseca Leite, presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica, analisa os prós e contras da opção pela nova tarifa pelo mercado

Carlos de Castro 1

Podre República

Este artigo do economista Carlos Roberto de Castro, publicado em dezembro do ano passado aqui no portal, foi o mais lidos nos últimos trinta dias e por isso merece ser destacado novamente. Em texto objetivo, ele propõe a discussão de um plano de reorganização do país como forma de minimizar os efeitos da corrupção sobre a sociedade. Castro destaca que nas três esferas dos poderes a corrupção disseminou-se em todos os canais de intermediação. A prática generalizada e recorrente, verificada em todos os níveis do legislativo e do executivo, é a barganha política, apadrinhamentos e loteamento de cargos públicos por políticos e governantes sem escrúpulos e nenhuma preocupação com o bem comum. O interesse coletivo foi substituído pelo corporativismo enriquecimento ilícito e interesse de grupos. Ele afirma que a ocasião mais propícia para as reformas é agora, pois a crise revela, em toda sua nitidez, a necessidade e a urgência da renovação não só do atual quadro político, mas também na ativa participação da sociedade no controle e acompanhamento dessa nova fase histórica. Neste contexto, Castro propõe que as novas práticas políticas devem ser o modelo a ser perseguido. Elas exigem que se abandone o ambiente promiscuo que envolvem as forças políticas dominantes e isso só irá ocorrer com a refundação da nossa apodrecida República. [clique no título para ler a íntegra]

Anfavea Megale

Anfavea espera crescimento de dois dígitos neste ano

Segundo Antonio Megale, presidente da entidade, a expectativa é de crescimento, apesar da volatilidade a ser gerada pelo processo eleitoral e possível redução de incentivos à indústria

Abdib Venilton Tadini1

Setor privado mantém investimentos aeroportuários no radar, apesar dos sustos políticos

Segundo Venilton Tadini, presidente da Abdib, há um hiato de R$ 200 bilhões por ano em investimentos que precisam ser viabilizados

EnerSolar 2018

100% de eletricidade renovável em todo o mundo é viável e mais rentável

Conclusão de estudo lançado durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas - a COP23 - afirma que uma transição global para a eletricidade 100% renovável não é uma visão de longo prazo, mas já uma realidade tangível, de acordo com um novo e inovador estudo da Universidade de Tecnologia Lappeenranta (LUT) e do Grupo Energy Watch (EWG), lançado durante o evento Global Renewable Energy Solutions Showcase, em paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas - a COP23, em Bonn. O estudo terá grandes implicações para políticos e elaboradores de políticas públicas em todo o mundo, pois refuta um argumento frequentemente usado por críticos de que as fontes renováveis não conseguem atender todo o fornecimento de energia numa base horária. Uma transição para 100% de fontes renováveis traria as emissões de gases de efeito estufa no setor elétrico até zero e reduzirá drasticamente as perdas totais na geração de energia. Elas criariam 36 milhões de empregos até 2050, 17 milhões a mais do que hoje. O cenário global de transição de energia é realizado em períodos de 5 anos a partir de 2015 até 2050. Os resultados são agregados em nove principais regiões do mundo: Europa, Eurasia, MENA, África Subsaariana, SAARC, Ásia do Nordeste, Sudeste Asiático, América do Norte e América do Sul. [clique no título para ler a íntegra]

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.