Análise Econômica, Política & Social
CNI Robson3

Indústria é a favor da abertura comercial, mas com diálogo e transparência

Um corte abrupto da TEC - Tarifa Externa Comum - do Mercosul reduzirá o PIB brasileiro de pelo menos 10 dos 23 setores industriais até 2022, prejudicando a retomada do crescimento do país e a redução do desemprego. Este é o resultado de um estudo do Centro de Estudos de Política da Universidade de Victoria, na Austrália, contratado pela CNI, em função das recentes notícias de que o governo tem avançado na proposta aos seus parceiros do bloco - Argentina, Uruguai e Paraguai - de reduzir unilateralmente em 50% o imposto de importação. Neste contexto, a entidade pede a abertura de diálogo, através de consulta pública, para que se esclareça a realidade de cada empresa e das diferentes regiões do país. Segundo a CNI, a redução unilateral da TEC diminui o engajamento da indústria em novos acordos comerciais e o Brasil ainda perde poder de barganha. “Somos a favor da abertura, mas com diálogo e transparência”, afirma Robson Braga de Andrade, presidente da CNI. [clique no título para ler a íntegra]

IBÁ Paulo Hartung

O futuro está nas árvores

Em artigo, Paulo Hartung (foto) e Carlos Aguiar dizem o plantio de árvores é um vetor de soluções variadas de produtos, de geração de renda e comprovada capacidade de conservação

CNT Bruno Batista

Pioram as condições das rodovias brasileiras

Segundo Bruno Batista, diretor-executivo da CNT, a recuperação da malha viária exigiria R$ 38,6 bilhões em investimentos, ou R$ 15,8 bilhões só para manutenção

Tributos

Tributação sobre empresas brasileiras é uma das mais elevadas do mundo

Documento da CNI, baseado em dados da KPMG, confirma o que já se sabia: no Brasil, a alíquota nominal é de 34%, pior índice num ranking de 18 países, dado que reforça a necessidade de se reformar o sistema tributário brasileiro. O documento ressalta que nosso sistema tributário reduz a competitividade, é complexo, o que o torna oneroso para as empresas, distorce os preços relativos e, consequentemente, a alocação de recursos em detrimento das atividades com maior agregação de valores. Na avaliação da CNI, além da redução da carga tributária, o sistema tributário deve perseguir a simplicidade, neutralidade, transparência e isonomia. O foco da reforma deve ser a adoção de um Imposto sobre o Valor Adicionado (IVA), que reúna PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, Cide-Combustíveis e ISS em um só tributo, permitindo a remoção da cumulatividade e a simplificação da carga. [clique no título para ler a íntegra]

Indra Brasik Jorge Arduh

A geração Z e o futuro do trabalho

A geração Z ganha cada vez mais espaço no mundo. Segundo estimativas da ONU, os jovens nascidos no século XXI devem representar 32% da população global este ano, tornando-se o maior grupo na sociedade atual. Neste artigo, Jorge Arduh, CEO da Indra no Brasil, fala sobre a importância desta geração e os desafios de liderança para atrair e reter jovens profissionais. Segundo ele, nesse cenário, a melhor estratégia para as empresas é a capaz de reformular as relações organizacionais, estendendo a motivação para além dos jovens profissionais e trazendo benefícios em qualidade dos produtos e serviços, aumentando as chances de lucro. Neste contexto, Arduh destaca passos fundamentais para pensar na transformação que deve se realizar dentro do ambiente organizacional e conclui que atingir objetivos depende do equilíbrio entre mostrar que conquistar resultados é ótimo, ao mesmo tempo em que transformar a sociedade é vital. [clique no título para ler a íntegra]

Abihpec Basilio 2018

Reforma tributária deve facilitar acesso a produtos de saúde e higiene

Para João Carlos Basilio, da ABIHPEC, atualmente, uma variedade de itens (de creme dental a protetor solar) é mais cara por causa dos impostos

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.