Eficiência Energética
13 DE novembro DE 2019 - 19:24

Aurora Alimentos economiza 32% no mercado livre de energia

A Aurora Alimentos, que atua principalmente no processamento de aves, suínos e lácteos, obteve uma economia média de 32% nos contratos de energia elétrica fechados mercado livre desde 2005, quando em comparação com as tarifas praticadas no mercado regulado.

Atualmente, os contratos do mercado livre abastecem nove unidades consumidoras da Aurora, que somam um consumo de energia de 32 MW médios. Para atender essa demanda, a cooperativa firmou contratos de longo prazo, sendo que a maior parte deles – 26 MW médios – estão contratados com a Electra Energy até 2026.

“Construímos uma parceria de longa data, desde a migração das primeiras unidades consumidoras”, destaca a diretora de Gestão de Clientes da comercializadora, Angela Saraiva, lembrando que a Aurora está entre os clientes mais antigos da Electra.

“Estamos comemorando 18 anos de fundação da Electra e há 14 trabalhamos em parceria. É com muita satisfação, portanto, que seguimos com a missão de apresentar operações estruturadas cada vez melhores, sempre buscando aumentar a economia da Aurora”, completa Angela.

Hoje, aproximadamente 45% da energia usada pela cooperativa é negociada no mercado livre. “Trata-se de uma opção muito boa para quem usa um grande volume de energia. Mas, para obter um bom resultado, tem que conhecer muito bem o mercado e a indústria, além do seu histórico e as perspectivas para os próximos anos”, destaca o engenheiro eletricista Anderson Facco, do setor de Engenharia e Manutenção da cooperativa.

Dentre os desafios, o especialista destaca a volatilidade dos mercados de processamento de carne. “Em menos de um ano, podemos ter variações muito significativas na produção, o que interfere diretamente no montante de energia utilizado”, afirma, lembrando que alterações no mercado externo ou interno podem afetar a produção nas unidades da Aurora. “A epidemia de febre suína africana na China no primeiro semestre deste ano, por exemplo, transformou o cenário, aquecendo a produção nacional”, acrescenta.

Swap
Na prática, essa volatilidade do segmento exige cuidado constante com a energia contratada. Isso porque, dependendo dos acontecimentos, a empresa modifica rapidamente as plantas produtivas utilizadas, conforme as características de cada segmento e unidade. “Como não temos um setor específico de energia para analisar as questões importantes do setor, a Electra avalia possibilidades de operação de swap a cada mês”, explica Anderson, referindo-se a eventuais mudanças no tipo de fonte e destino da energia contratada entre as diferentes fábricas da Aurora.

Eficiência energética
Por atuar na área de alimentos, mais da metade dos gastos de energia da Aurora é com refrigeração. Para reduzir o impacto da atividade nos custos finais, a cooperativa busca constantemente por soluções mais eficientes em suas novas unidades produtivas. “Nossas plantas mais novas, com equipamentos com melhor rendimento, gastam, em média, 25% menos energia do que as mais antigas”, estima o engenheiro.

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.