Análise Econômica, Política & Social
21 DE agosto DE 2019 - 11:11

Ações

Por João Carlos Marchesan, presidente do Conselho de Administração da ABIMAQ

A mais relevante das metas que nos move e que nos leva a participar de várias reuniões com o governo, audiências no Senado e Câmara e reunião com o ministro da economia Paulo Guedes, é melhorar o ambiente de negócios e melhorar a nossa competitividade, haja vista as inúmeras ameaças que pairam sobre nosso setor, como a transformação do BNDES numa “butique da Faria Lima”, a abertura comercial unilateral de BK (Máquinas), escancaramento do dispositivo do Ex tarifário (Portaria 309) e outras ameaças.

No mês passado, conseguimos retirar a emenda 108 que praticamente havia sido incorporada à PEC da reforma da Previdência e que propunha a transferência de parte da arrecadação com o PIS/Pasep destinada ao BNDES, via o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), para o Regime Geral da Previdência Social.

É inconcebível a ausência do BNDES como fonte de financiamento de investimentos de longo prazo, sob o risco de comprometer o crescimento do País, condições primordiais para a inversão da curva de endividamento público, que poderia comprometer a recuperação econômica, bem como a geração de emprego e renda. Preservar o BNDES como uma das principais ferramentas para comercializarmos nossos produtos e como instrumento de Política Industrial foi uma conquista.

Temos atuado em todas as frentes possíveis para negociar a abertura comercial unilateral de bens de capital, com grande sucesso desde 2017. No início deste ano, a ABIMAQ conseguiu postergar abertura comercial nesse governo

Além disso, a ABIMAQ impediu a Reoneração da folha de pagamentos do setor de máquinas. Devemos lembrar que outros setores foram reonerados, o nosso não; e não podemos perder de vista que todos esses avanços são resultado de um objetivo definido como a principal Meta do Planejamento Estratégico, o foco em Ação Política em Brasília.

Temos trabalhado muito no sentido de apoiar com informações e Notas Técnicas uma base parlamentar que nos apoia no Congresso Nacional. Estamos no Centro dos Debates. Não há debate de temas de nosso interesse que não participamos ativamente. Participamos de audiências públicas na Câmara e Senado constantemente. A Meta vem sendo atingida com muito esforço.

Saímos de uma eleição difícil em 2018, com muita renovação, mas com uma FPMAQ maior, mais forte, influente e preparada. A principal meta do nosso Planejamento Estratégico está sendo atingida.

Estamos acompanhando com muito emprenho, a simplificação e desburocratização da vida de nossas empresas, através de sugestões consistentes à MP 881. Meta quase atingida. Falta a votação do relatório final do deputado Jerônimo Goergen, ex-presidente da FPMAQ. A ABIMAQ procurou auxiliar a redação do texto final no sentido de garantir as prioridades da indústria. A ideia é desburocratizar e simplificar as nossas vidas.

Várias contribuições importantes saíram de nossas intervenções em Brasília e em audiências públicas. É preciso mais do que nunca que essas ações continuem, se intensifiquem e que todos participem desse momento histórico da política brasileira.

Fonte: site da ABIMAQ

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.