Reflexões da Redação
6 DE abril DE 2019 - 22:01

100 dias de incertezas

Reflexão dos editores deste portal

De alguns anos para cá tornou-se normal que presidentes, governadores e prefeitos eleitos anunciem suas metas para os 100 primeiros dias governo. Aliás, esse é um prazo que até hoje não conseguimos compreender, visto que, quando se fala de metas, pensamos que elas já deveriam estar elaboradas antes mesmo da posse.

Entretanto, tanto faz como fez, desde que realmente o governante mostre, desde o início, que suas intensões busquem o funcionamento da máquina em todos seus aspectos. No caso do país, vamos lá, seria importantante que, terminado o tal prazo, ao menos os ministérios estivessem com toda sua estrutura montada e pronta para desenvolver o programa de governo. Porém, ainda há dúvidas sobre alguns deles, como o caso da Educação.

Neste contexto, o presidente empossado em janeiro acabou de afirmar que, contrariando nossa preocupação, ao completar 100 dias de mandato nesta semana, os ministros vão apresentar um balanço das suas pastas e do que foi feito até agora.

Segundo ele, tudo que foi demandado foi cumprido. No seu palavreado, via redes sociais, disse  que os ministros vão mostrar aos brasileiros que 95% das suas metas serão atingidas e o restante parcialmente atingido.

Tudo bem! Vamos interpretar nesta afirmação que, realmente, tudo andou às mil maravilhas e que tudo será cumprido no prazo pré-determinado e que o país começará a caminhar de verdade, buscando soluções para tudo e para todos. No entanto, há ainda indefinições sobre o rumo a ser seguido, o que tem causado apreensão nas empresas, retardando qualquer tomada de decisão.

Para que esse ambiente negativo se modifique, é preciso acabar urgentemente com as discussões e os embates paralelos envolvendo filhos, gurus, ministros e políticos que, como sempre, querem ver o circo pegar fogo e que  só fazem o país retroceder. Ou seja, esse jogo não interessa ao país e nem ao brasileiros, pois gera insegurança.

Queremos dizer com isso tudo o que o cidadão de bem deseja para valer: que o governo concentre suas forças num programa de renovação e revitalização, dedicando-se, além das reformas prioritárias – Previdência e Tributária -, à Educação, Saúde, Emprego, Moradia, Segurança, Infraestrutura (transportes, portos, aeroportos, comunicações), Combate à Corrupção, Comércio Internacional, Meio Ambiente, Inovação, Inclusão Social, Respeito às Diferenças e às Divergências, etc, etc.

É muita coisa para ser consertada, especialmente após dezoito anos de atitudes populistas e suspeitas que produziram retrocessos políticos e econômicos à nação, como por exemplo a situação dos empregos. Aceite-se ou não os dados do IBGE, hoje somos 13 milhões de desempregados, que acrescidos dos subempregados e os desalentados, chegamos a cerca de 40 milhões. Isso é extremamente preocupante e, se não for enfrentado com firmeza, poderá redundar em consequências piores nos próximos anos.

Reforçamos que é para resolver ou melhorar tudo isso que os governantes são eleitos. E temos certeza que, com um trabalho focado e sério, longe das redes sociais, o país dará, neste e nos próximos anos, passos importantes rumo ao desenvolvimento, devolvendo ao nosso povo a dignidade e a alegria de viver.

O que não dá para aceitar neste momento são as indefinições geradas nestes 100 dias de governo, que têm trazido certa inércia para todos, principalmente entre os empresários que tanto investiram e ainda querem investir em atividades produtivas, mesmo não sabendo sobre o dia de amanhã. O clima de incertezas precisa acabar!

NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.