Inovar é o que importa, também na política

É geral o entendimento de que quem não promover inovação nos processos produtivos e administrativos perderá a condição de competir. Aliás, inovar é a palavra que deveria nortear todos os segmentos. Os processos criativos nas artes, na educação, na saúde, enfim, em tudo, é que determinam a evolução. Assim, vale a pena refletir também sobre o que vem ocorrendo no Brasil, principalmente com seus gestores. Pesquisas têm apontado que o brasileiro está cansado das atitudes dos políticos, especialmente dos que ocupam o executivo e o Congresso. Isso é preocupante, pois a consequência é o afastamento cada vez maior das pessoas do debate político, visto que, alijados, preferem agir por conta própria e buscar a sobrevivência em outras formas que não as normais. Em agosto começam as campanhas eleitorais, quando ouviremos muita promessa impossível de ser realizada. Uma das formas de conseguir evitar erros é procurar conhecer a história dos candidatos e entender por que ele quer o seu voto. É difícil, mas temos que errar menos do que já erramos. É momento, portanto, de os brasileiros promoverem uma mudança na política, não somente substituindo as pessoas, mas exigindo postura ética, transparente e inovadora de quem venha a assumir as novas funções. [clique no título para ler a íntegra]

publicidade
NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.