Sobre o bem e o mal

Estamos repetindo essa reflexão em virtude dos últimos acontecimentos. Nem sempre é possível confiar no que se publica nas redes sociais. Porém, há casos tão marcantes que nos fazem ir atrás, na tentativa de encontrar o autor antes de dar a credibilidade que merece, especialmente em momentos de turbulência e instabilidade política. Neste contexto, lembra-se do filósofo britânico do século 19, Benjamin D’Israeli, que disse que uma sociedade só tem chance quando os homens de bem tiverem a mesma audácia dos corruptos. Baseada nisso, em vídeo amplamente conhecido, a professora Lúcia Helena Galvão - da escola de Filosofia Nova Acrópole - pergunta: onde as pessoas têm mais chance de serem atendidas mais rapidamente e com eficiência? Por uma pessoa que está vendendo droga ou por alguém que está atendendo no serviço público? E ela própria responde: eficiência é virtude que faz com que as pessoas e os negócios cresçam; é fácil perceber que se está enfraquecendo, cada vez mais, o bem, e fortalecendo o mal, os moralmente debilitados e os corruptos. [clique no título para ler a íntegra]

publicidade
NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.