Retomar obras pode dinamizar a economia

Os prejuízos com as mais de 4 mil obras paradas no país são enormes, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade. Segundo ele, a deterioração fiscal e a consequente indisponibilidade de recursos afetaram projetos da União, dos Estados e dos municípios, que cortaram gastos e paralisaram obras. Andrade afirma, em artigo, que metade das paralisações teve como causa questões técnicas e, também, falhas na interação entre órgãos de controle e gestores públicos, responsáveis por fazer os projetos virarem realidade. Ele lembra que um estudo da entidade no ano passado apontou que o custo econômico do atraso desses empreendimentos, ou seja, o que a sociedade deixou de receber com a paralisação, ultrapassa R$ 50 bilhões. Andrade conclui que, se retomadas, as obras podem gerar milhares de empregos em toda a cadeia da construção civil e dinamizar a economia, justamente o que anseiam o setor produtivo e os milhões de brasileiros desempregados. [clique no título para ler a íntegra]

publicidade
NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.