“A ingnorância é que astravanca o pogressio”

No momento em que o país se prepara para escolher o novo presidente, estamos repetindo esta reflexão sobre a ignorância. Vamos lá: caminhando pelas redondezas, notamos um antigo salão em reforma. Perguntados sobre o que seria ali, os trabalhadores disseram que seria um bingo. E completaram: “bingo é proibido em outros países; aqui pode funcionar”. O episódio nos remete ao bordão “a ignorância é que atravanca o progresso”, popularizada por Odorico Paraguaçú - ou por Bertoldo Brecha, na escolinha de Chico Anísio. O professor da USP Paulo Ghiraldelli, destaca que é urgente impedir semicultos de propagar bobagens. Ele cita a filósofa Hannah Arendt que dizia que os semicultos “falam pelos cotovelos e conquistam os ignorantes para a adesão da informação errada”, o que se encaixa na nossa preocupação com parte da população brasileira que, pouco interessada em informações confiáveis, fala o que lhe vem à cabeça. A ausência de um Estado preocupado em formar cidadãos acaba formando pessoas desinformadas e ignorantes, que não atentam que a situação atinge toda sociedade e chega às empresas, à economia e à política. [clique no título para ler a íntegra]

publicidade
NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.