“Brasileiro é tão bonzinho”

Há 40 anos, em dezembro de 1977, o jornal Pasquim estampava em sua primeira página a celebre frase “Brasileiro é tão bonzinho” proferida à época pela atriz Kate Lyra, que fazia a americana inocente em programas de humor na TV. Na capa, Kate reproduz a frase e Pelé, sim Pelé, retruca: “É... mas não sabe votar...”. Hoje - a pouco menos de doze meses das eleições do ano que vem - já estamos ensurdecidos diante de tanta asneira que somos quase que obrigados a ouvir de políticos dos mais diferentes partidos em suas aparições nos intervalos comerciais das emissoras. Os partidos - muitos deles desconhecidos - tentam demonstrar que têm a solução para resolver todas as dificuldades e crises pelas quais o país vem passando, porém, percebe-se que só estão ocupando o espaço gratuito. Falam por falar pois não têm programas concretos de governo. O problema é que, com essa falácia, acabam convencendo os brasileiros menos avisados, que passam a acreditar que ali está surgindo um salvador da pátria, capaz de dar um choque geral na situação e fazer o país mudar da água para o vinho, do dia para a noite. Diante do que temos visto e ouvido, passados 40 anos, somos obrigados a reafirmar que o brasileiro, mais uma vez, se prepara para cair na armadilha dos maus políticos e continuar a votar errado. [clique no titulo para ler a íntegra]

publicidade
NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.