E se a indústria parar?

A recente greve dos caminhoneiros deixou um rastro de questionamentos e temores que colocam a sociedade brasileira diante de decisões importantes sobre o futuro do país. Filas nos postos de combustíveis e até prateleiras vazias formaram uma nova paisagem urbana. “Mas, por incrível que possa parecer, existe um cenário ainda pior do que esse: a inexistência de carga a ser transportada. Não por recusa dos caminhoneiros, mas pela inatividade das fábricas”. O posicionamento é do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul, Gilberto Porcello Petry, chamando atenção para o importante papel da indústria no cenário de retomada da economia nacional. Ele destaca que se o país continuar com o tabelamento dos fretes, ficará evidenciado o intervencionismo estatal na economia, o que poderá chegar a uma lamentável realidade de “desprodução” industrial. Petry propõe a urgente elevação do Brasil ao patamar de nação industrial como forma de garantir um futuro digno para a sociedade. "A valorização da indústria será capaz de romper essa tendência de declínio da economia nacional", afirma [clique no título para ler a íntegra]

publicidade
NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.