Transformações exigem adaptação para sobrevivência da indústria

Neste artigo de Cláudio Moysés, diretor do Instituto da Qualidade Automotiva, afirma que a teoria evolutiva de Charles Darwin pode ser aplicada no mundo corporativo, em que a mutabilidade do ambiente e o acirramento da competição organizacional vão gerar uma nova "seleção", não mais "natural", mas onde sobrevivem as organizações mais adaptáveis e flexíveis. Segundo ele, as empresas precisam, hoje, oferecer um ambiente inteligente e adaptável, no qual a qualidade deve depender da eficácia com que os profissionais podem descobrir e agregar novas fontes de dados, a exemplo de conhecimentos sobre eles próprios, produtos e organizações. Neste contexto, Moysés conclui que aprendizado contínuo é o caminho para profissionais da qualidade entenderem como as decisões afetam a saúde e o bem-estar da sociedade em geral, como pessoas e comunidades. [clique no título para ler a íntegra]

publicidade
NewsLetter

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail.